ÚLTIMAS NOTÍCIAS
ÚLTIMAS

Miguel Pereira completa 65 anos de emancipação

Miguel Pereira - (Cotidiano) - Sábado, 24 de Outubro de 2020 às 07:30 horas.

Atualizado em Sexta, 23 de Outubro de 2020 às 20:22 horas.

  Miguel Pereira completa 65 anos de emancipação

A cidade de Miguel Pereira completa neste domingo (25) 65 anos de emancipação político administrativa.
A história de Miguel Pereira está ligada à de Vassouras e de Paty do Alferes, e perpassa a expansão da cultura cafeeira no sul do estado do RJ.
A ocupação da área onde hoje fica Miguel Pereira teve origem com as explorações de descendentes europeus, que tinham a intenção de transpor a Serra do Mar, numa expedição do Rio de Janeiro até Minas Gerais. No caminho, os exploradores fixaram ponto de passagem em pequena várzea, inicialmente denominada Barreiros, mas que posteriormente passou a se chamar Estiva.
Pouco tempo depois, algumas pequenas lavouras começaram a surgir na região. Em 1770 foi fundada a fazenda da Piedade de Vera Cruz, que se tornaria importante produtora de café da região. Na época, o local era subordinado administrativamente e religiosamente à Freguesia Nossa Senhora da Conceição do Alferes, atualmente Paty do Alferes.
Por conta da expansão das lavouras de café, a então Freguesia foi elevada, em 1820, ao posto de Vila Nossa Senhora da Conceição do Alferes. Em 1837, no entanto, a sede da Vila foi transferida para a Vila de Vassouras que, 30 anos depois, foi transformada na cidade de Vassouras, que passou a administrar as terras atuais de Miguel Pereira.
A área começou a se desenvolver a partir de 1898, com a construção da Capela de Santo Antônio da Estiva. Na época, os colonos começaram a erguer suas casas humildes, que formaram um núcleo urbano e incentivaram assim a chegada de novos moradores.
Com a abolição da escravatura e a perda das plantações de café devido a exploração inadequada da terra, a região sofreu um declínio econômico. No entanto, a partir da construção do ramal auxiliar da Estrada de Ferro Melhoramentos (incorporada à Estrada de Ferro Central do Brasil, em 1903), a região passou a experimentar seu desenvolvimento.
O eixo ferroviário estimulou o nascimento de povoados que, em sua maioria, abrigavam os trabalhadores da ferrovia. Este é o caso de Governador Portela, onde parte das áreas urbanas era de propriedade da Rede Ferroviária Federal, que construiu toda uma vila residencial destinada a ferroviários.
A urbanização da região começou a ocorrer a partir da década de 1930, quando as qualidades do clima da região foram propagadas pelo médico e professor Miguel Pereira, que deu nome à cidade. A partir de então, deu-se início à ocupação urbana da região, principalmente através do turismo de veraneio, que atraía e ainda atrai a população da Região Metropolitana do Rio de Janeiro.
A emancipação de Miguel Pereira aconteceu pelo desmembramento de dois distritos de Vassouras: Miguel Pereira e Governador Portela. A independência do território foi oficializada pela Lei nº 2626, de 25 de outubro de 1955. Em 1988, a cidade recebe mais um pedaço de terra, o distrito de Conrado, também desmembrado de Vassouras.
Miguel Pereira é uma cidade serrana e está em uma área da Mata Atlântica, com clima tropical de altitude e distante 115 km da capital. O turismo é caracterizado como sendo cultural, ecológico e de eventos, e tem como principal razão o fato de a cidade ser considerada o terceiro melhor clima do mundo.
Dentre os pontos turísticos de Miguel Pereira se destacam:
Caminho do Imperador, primeira ligação direta entre o Rio de Janeiro e Minas Gerais, utilizado pelo Imperador para ir do Rio de Janeiro a Petrópolis;
Gruta do Quilombo de Manoel Congo, construído por escravos no século XVIII;
Caminho dos Bandeirantes,situado no distrito de Marco da Costa, onde é possível conhecer parte do trecho
Viaduto Paulo de Frontin: construído na Bélgica, foi inaugurado em 1889 e é a única ponte metálica em curva do mundo. Está situado sobre o rio Santana, no distrito de Vera Cruz;
Fazenda de Nossa Senhora da Piedade de Vera Cruz, hoje chamada fazenda Santa Cecília;
Fazenda Igapira;
Antiga Igreja de Santo Antônio da Estiva;
Museu Francisco Alves, dedicado ao cantor e antigo morador da cidade;
Lago de Javari;
Museu do Trem;
Gruta dos Escravos;
Feira Nacional de Artesanato (Fenart), que ocorre todo ano no mês de outubro.
O Entre-Rios felicita Miguel Pereira pelo aniversário de 65 anos e deseja que os próximos sejam de ainda mais proximidade com a população miguelense, tão importante para nosso Jornal.
Parabéns, Miguel Pereira!

Por Redação

Crédito da Foto: Reprodução

Publicidade