Mocidade promete emocionar ao passar pela passarela do samba

Três Rios - (Entretenimento) - Quarta, 27 de Fevereiro de 2019.

Mocidade promete emocionar ao passar pela passarela do samba

Dando sequência a série especial referente as quatro agremiações que vão desfilar no Grupo A do Carnaval trirriense, hoje (27) vamos falar da segunda escola que vai passar pela Avenida Condessa do Rio Novo no domingo (3) de Carnaval, a Mocidade Independente de Vila Isabel.

Fundada na casa de Selmarino (Sambista Maneiro) por pessoas que eram simpatizantes do Bambas do Ritmo e do Bom das Bocas, em 1971, nascia a Mocidade Independente de Vila Isabel. Logo em sua estreia, no carnaval de 1973, embaixo de uma forte chuva, a escola já chegou vencendo, mesmo sendo considerada o "pato", na gíria, um concorrente fraco na disputa daquele ano.

E partir deste dia, foi criado o símbolo de um pato com um guarda-chuva nas mãos, fazendo referência à conquista. Conhecida como "Tricolorida", nome carinhoso muito usado pelo seu fundador, o verde, vermelho e branco, vieram da junção das cores do Bambas e do Bom das Bocas em homenagem a alguns fundadores que torciam por essas escolas de samba.

Desde 2005 sem vencer o Carnaval trirriense, a Mocidade, que renovou sua diretoria, tendo à frente o presidente Luciano do Espírito Santo, aposta no enredo "Amas de leite, mães escravas de seus próprios destinos”, dos carnavalescos Raphael Corrêa e Victor Matheus, para soltar o grito de campeã.

Para isso a escola vai desenvolver na avenida do samba seus três setores, abrindo o desfile com a comissão de frente de 13 mulheres coreografada por Jhonison Paulo, a qual os carnavalescos disseram que o figuro está lindo e tem tudo para emocionar o público.
Ainda no primeiro setor a agremiação vai apresentar para os jurados a homenageada (as mães pretas), mostrando quem foram essas mulheres e qual condição social elas viviam em meio a um Brasil escravocrata.

O segundo setor vai ser voltado para os papéis dessas mulheres no contexto da época. Além delas amamentarem os filhos dos senhores, tinham outras atribuições relacionadas à escravidão.

Finalizando seu desfile, a Mocidade faz um link do Carnaval, que é uma arte e a maior festa popular do país, com as mães pretas, que por tantas vezes foram retratadas em inúmeras formas de artes. “Agora o Carnaval e Mocidade fazem essa homenagem a elas, que sempre foram fonte de inspiração para artistas”, explicou Victor.

A bateria Explosão de Mestre Ni vai para a passarela de catolicismo místico e a fantasia da rainha, Iara Macedo, está guardada a sete chaves, só os carnavalescos, o presidente e o diretor de Carnaval, além do estilista Alcyr Caratiero, que está confeccionando a roupa, sabem como ela vai se apresentar diante de seus súditos.

“Aguardem! A fantasia da Iara foi exclusivamente feita para ela brilhar e impactar na avenida quando passar à frente da bateria Explosão”, falou Raphael.

Porém, dentre todo o trabalho que vem sendo realizando desde maio do ano passado, os carnavalescos destacam, com os olhos brilhando, a ala das baianas. “Vai surpreender. Tivemos um carinho todo especial e um cuidado enorme quando pensamos nesta fantasia. Ela é nosso xodó, a foi a primeira a ser criada, as baianas são as matriarcas da escola e merecem algo bem luxuoso”, revelou Victor.

Com o barracão funcionando das 8h30 às 20h30, de segunda a sábado, aos domingos todos vão embora depois do almoço, segundo os carnavalescos na sexta-feira (1º) o trabalho, que conta com a colaboração de 16 pessoas, vai ser finalizado.

Ao serem perguntados qual o segredo para não estarem virando as noites às vésperas do desfile, Raphael e Victor responderam que é o planejamento e o fato de terem escolhido o enredo antes, por isso deu tempo, fazendo com que as coisas fluíssem desta maneira.

“O planejamento foi fundamental e podem esperar uma Mocidade renovada, competitiva, com garra e emoção. O brilho no olhar voltou para a Tricolorida e nós queremos agradecer ao presidente Luciano, ao vice-presidente Luiz Antônio e toda diretoria, que estão sendo incansáveis. Agrademos também a comunidade, que voltou para a agremiação, a equipe de barracão, que é guerreira e esforçada; sem eles nada disso seria possível, e ao nosso tesoureiro, Valdir Ribeiro”, falaram os carnavalescos.

As fantasias dos 700 componentes, que vão ajudar a compor os três carros e as 11 alas, estão sendo entregues e uma pequena parte está sendo finalizada até sexta-feira (1). Ainda há vagas para desfilar e quem tiver interessado pode procurar pelo diretor de Carnaval, Matheus Guimarães no barracão, que fica no Triângulo, na Curva da Biquinha, na antiga Perdigão ou ir à quadra, na Vila Isabel, hoje (27) às 20h.

“Está chegando o momento crucial que vai coroar o esforço de nossa diretoria e todos que estiveram envolvidos com este processo de colocar uma agremiação na rua. O trabalho foi árduo e eu sou muito grato pela volta da comunidade, nela está a força da Mocidade. Trouxemos profissionais, que deram outra cara para a nossa agremiação e já nos consideramos campeões mediante a tantos problemas para chegar até aqui. Vamos para disputa e depois que a Mocidade passar, vai deixar saudade com um gosto de quero mais. Agradeço o empenho de quem nos ajudou, as pessoas que trabalharam, aos componentes, a minha família por entender a minha ausência em casa para me dedicar à escola e podem esperar uma Mocidade diferente demais”, ressaltou o presidente Luciano.

Vale destacar que amanhã (28), às 20h, a agremiação vai para a Avenida Condessa do Rio Novo realizar seu último ensaio antes do desfile oficial, que está marcado para às 22h40 de domingo.


Por Aline Carius

Crédito da Foto: Aline Carius

Publicidade
728x90
4 itens por 199