Novembro Azul visa conscientizar sobre o câncer de próstata, segundo tipo de tumor que mais atinge h

País - (Saúde) - Sábado, 10 de Novembro de 2018.

Novembro Azul visa conscientizar sobre o câncer de próstata, segundo tipo de tumor que mais atinge h

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca) até o final de 2018 serão 68.220 novos casos de câncer de próstata, doença que mata entre 12 a 15 mil pessoas e é o segundo tipo de tumor que mais atinge os homens.

Como forma de alerta, foi criado em 2003 na Austrália, a campanha Novembro Azul, mês escolhido pelo fato de o dia 17 novembro ser o Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata, que é uma doença na qual ocorre o desenvolvimento de um tumor na próstata, uma glândula do sistema reprodutor masculino.

De acordo com o Inca, na maioria dos casos, ele cresce de forma lenta e não chega a dar sinais durante a vida nem a ameaçar a saúde do homem. Em outros casos, pode crescer rapidamente, espalhar-se para outros órgãos e causar a morte.

Em entrevista, o urologista de Três Rios, Ivson Ribas de Oliveira, que cursou medicina na Unifoa e há mais de 30 anos atua na área, tendo se especializado em urologia no Hospital Naval Marcílio Dias, na cidade do Rio de Janeiro e se titulado como especialista pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), Associação Médica Brasileira (AMB) e Conselho Federal de Medicina (CFM), esclarece alguns pontos sobre a doença.

Entre-Rios Jornal: Em 2018 quantos casos de câncer de próstata foram diagnosticados em seu consultório?

Ivson Ribas: Em 2018, são previstos mais de 68 mil novos casos com 13 mil mortes pelo Instituto Nacional do Câncer, portanto no dia a dia de nossa atuação profissional nos deparamos com novos casos com muita frequência.

ERJ: O número de casos câncer de próstata tem avançado ou regredido?

IR: Esse número é crescente e se deve a fatores como melhora nos métodos diagnósticos, maior conscientização da população masculina e ainda o envelhecimento de nossa população.

ERJ: Com tanta informação que há disponível, o homem já deixou o preconceito de lado e passou a fazer o exame do toque?

IR:Importante ressaltar que nosso país, com suas dimensões continentais, tanto as informações quanto o acesso ao sistema de saúde ainda são muito desiguais e precários, levando a preconceitos e desassistência. Ao passo que nas regiões mais desenvolvidas isso vem melhorando sensivelmente.

ERJ: Além do toque e do exame de sangue de PSA, já existe algum outro que contribua para diagnosticar o câncer de próstata?

IR:O diagnóstico das doenças da próstata, se baseia em avaliação clínica feita pelo urologista com base na história pessoal e familiar. Exame físico com ênfase no exame digital da próstata e dosagem do PSA também são feitos. Essa avaliação inicial pode levar a decisão de novos exames a critério do especialista. O diagnóstico definitivo é feito através da biópsia prostática, que consiste em retirar fragmentos da glândula e enviar ao laboratório para análise. Dependendo do caso lançamos mão de exames como ultrassonografia da próstata, ressonância nuclear magnética e outros.

ERJ: A medicina tem desenvolvido técnicas para tratar esta doença?

IR: Os tratamentos se baseiam na busca da cura, que ocorre na grande maioria das vezes em que o diagnóstico é precoce. Podemos indicar a cirurgia em suas várias modalidades de técnica como a convencional, videolaparoscópica ou robótica. Importante ressaltar que o resultado oncológico final é semelhante em todas as técnicas. Em outros casos, podemos lançar mão do tratamento por radioterapia em suas várias formas. Deixo claro que não existe uma forma única de tratamento, que deve ser individualizado na dependência de cada caso.

ERJ: Qual a melhor maneira de se prevenir o câncer de próstata?

IR: Não existe ainda uma forma de prevenção para o câncer da próstata, portanto o que preconizamos é a detecção precoce, isso quer dizer que nos casos em que a doença é diagnosticada em sua fase inicial os índices de cura são excelentes.

ERJ: O Novembro Azul ajuda a contribuir tanto na parte do esclarecimento quanto no incentivo do homem em procurar a se cuidar?

IR: A Campanha do Novembro Azul é importante para chamar a atenção da sociedade para a necessidade de se pensar na saúde do homem como um todo. Os homens morrem muito mais de doenças ligadas ao tabagismo, hipertensão arterial, diabetes, obesidade, sedentarismo, violência do que as mulheres.



Sintomas – Mesmo que não apresente nenhum sintoma, todo homem deve procurar um médico para realizar um check-up após os 50 anos. Caso apresente sintomas como urinar com maior frequência, levantar várias vezes à noite para urinar, dificuldade de ereção, urinar sangue ou dor nos testículos, é preciso procurar um urologista imediatamente.

Tratamento – Para doença localizada, há, em geral, indicação de cirurgia ou radioterapia. Para doença localmente avançada, utiliza-se a radioterapia e hormonioterapia. Para doença metastática (quando o tumor original já se espalhou para outras partes do corpo), o tratamento de eleição é a terapia hormonal. Cabe ressaltar que o melhor a se fazer é o indicado pelo médico que faz o acompanhamento do paciente.

Prevenção - Se houver algum caso de câncer de próstata na família, a consulta deve acontecer aos 45 anos, mesmo sem apresentar sintomas.
Fonte:Secretaria de Estado de Saúde



Conheça quatro direitos do INSS para portadores de câncer de próstata 
De 2008 a 2015 a Previdência Social pagou mais de R$ 58 milhões para pacientes em tratamento, o que totaliza cerca de 48 mil benefícios concedidos. 

Porém, muitos pacientes desconhecem os benefícios aos quais têm direito. O advogado especialista da plataforma Previdenciarista (https://previdenciarista.com/), Átila Abela, listou os principais.

Auxílio-doença 

Para os homens diagnosticados e impossibilitados de trabalhar temporariamente, o auxílio-doença é garantido mensalmente ao segurado com câncer, desde que comprovada a impossibilidade de atuação na atividade profissional habitual.

“Para contribuintes individuais, como profissionais liberais e empresários, a Previdência Social também manterá o benefício por todo o período de incapacidade laborativa, desde que o mesmo requeira o benefício e realize os pedidos de prorrogação enquanto perdurar a incapacidade temporária”, explica o advogado.


Aposentadoria por invalidez 

Já para os segurados que passam por graves cirurgias ou que ficam impossibilitados de trabalhar por outras consequências, de forma total e permanente, é possível a concessão de aposentadoria por invalidez.

“Para ter direito ao benefício, o segurado precisa ter iniciado as contribuições antes da incapacidade laborativa ocorrer, tendo direito a aposentadoria por invalidez independentemente de ter realizado as 12 contribuições estabelecidas como regra geral, pois o câncer está dentre as doenças graves que dispensam o cumprimento da carência”, afirma o especialista. 


Auxílio acompanhante (adicional de 25%) 

Além dos benefícios acima, o segurado aposentado por invalidez que necessitar de um cuidador pode solicitar também o adicional de 25% previsto na Lei nº 8.213/91, mesmo quando o valor da aposentadoria for de um salário mínimo ou até mesmo teto previdenciário.  


Requerimento do benefício 

Para requerer benefício por incapacidade, o segurado precisará passar por um exame médico pericial no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Por ser um processo burocrático e delicado, levando em consideração todas as situações emocionais que cercam a pessoa diagnosticada com câncer de próstata, é sempre indicado contar com a ajuda de um profissional especializado. 

Por Aline Carius

Publicidade
200 produtos com 50OFF -  468x60
200 produtos com 50OFF - 300x250