ÚLTIMAS NOTÍCIAS
ÚLTIMAS

Novo coronavírus ameaça o Carnaval 2021

Diante da incerteza, escolas de samba marcam nova reunião para setembro

Engenheiro Paulo de Frontin - (Cotidiano) - Quinta, 16 de Julho de 2020 às 07:00 horas.

  Novo coronavírus ameaça o Carnaval 2021 Os representantes das 12 escolas de samba do Grupo Especial carioca se reuniram na noite na última terça-feira (14) na sede da Liesa (Liga Independente das Escolas de Samba), no Rio, por quase três horas, e diante de uma posição unânime por parte das agremiações, diante do quadro da atual pandemia, será inviável acontecer o tradicional desfile das escolas de samba sem uma vacina ou remédio realmente eficaz contra a covid-19, garantindo a segurança de componentes e todo o público que vai à Marquês de Sapucaí para assistir ao grande espetáculo proporcionado pelas escolas de samba.
Antes mesmo de acontecer a reunião plenária, cinco escolas de samba (Mangueira, Beija-Flor, Unidos de Vila Isabel, Imperatriz Lepoldinense e São Clemente) anunciaram oficialmente que se posicionariam pelo adiamento dos desfiles.
"Só imaginamos ter o desfile das escolas de samba em fevereiro se houver uma vacina. Se não houver uma vacina, nós não temos como fazer esse tipo de evento com aglomeração. O Carnaval é isso. O jogo de futebol pode acontecer sem plateia, a Fórmula 1 pode acontecer sem plateia, mas o desfile das escolas de samba não pode acontecer sem aglomeração, dos desfilantes, ou de quem está assistindo", reforçou o presidente da Liesa, Jorge Castanheira.
Das 12 escolas de samba que compõem a elite do carnaval carioca, oito já divulgaram os enredos para o Carnaval 2021. No caso do Salgueiro, por exemplo, a escola divulgou até o calendário e critérios da disputa de samba de enredo, porém, todos os barracões da Cidade do Samba estão parados, sem qualquer atividade visando o próximo desfile.
"Adiar eu não sei se seria viável porque mexe com todo o calendário, com toda estrutura, não só do Brasil, como do exterior. A gente teria que ver, também, a partir de setembro, se as escolas teriam tempo para poder fazer o espetáculo. Não é uma coisa tão simples a se pensar. Eu acho que após esse prazo, fica muito mais difícil e comprometido que as escolas possam conseguir viabilizar o desfile de carnaval", concluiu Castanheira em entrevista ao telejornal Bom Dia Rio, da Rede Globo. Com informações do G1 e sites Carnavalesco e SRZD

Por Redação

Crédito da Foto: Reprodução

Publicidade