Prefeito se reúne com a cúpula da Polícia Civil e pede Delegacia da Mulher para Miguel Pereira

Miguel Pereira - (Cotidiano) - Sábado, 18 de Maio de 2019.

Prefeito se reúne com a cúpula da Polícia Civil e pede Delegacia da Mulher para Miguel Pereira

Preocupado com o crescente número de mulheres que passam por constrangimentos, sejam no lar ou nas ruas, o prefeito André Português se reuniu na manhã desta quinta-feira (16), com a cúpula da Polícia Civil do Estado do Rio Janeiro, Marcus Vinícius, secretário da Polícia Civil do estado do Rio de Janeiro, André Oliveira secretário de Segurança de Miguel Pereira, deputado Sérgio Fernandes, subsecretário Operacional, Fábio Barucke, diretor Geral de Tecnologia da Informação e Telecomunicações, André Drumond, chefe de Gabinete, Ricardo Barboza, e solicitou a instalação de uma Delegacia da Mulher em Miguel Pereira.

Essa delegacia atenderá toda região centro-sul do estado. “Nos dias em que vivemos uma luta constante pelos direitos das mulheres, me sinto agradecido por lutar pela Delegacia da Mulher em nossa cidade, que irá com carinho e honra proteger todas as mulheres de Paty do Alferes e Miguel Pereira. É uma honra para a região a certeza de que todas estarão protegidas e amparadas pelas leis”, disse o prefeito André Português.

Segundo a Oficial de Cartório Fabiana Fiorese, da 96ª DP de Miguel Pereira, responsável pelos procedimentos relacionados à violência doméstica na circunscrição dos municípios de Miguel Pereira e Paty do Alferes. “A demanda é muito grande, mas ainda assim temos os melhores índices de inquérito relatados na região. Todos os dias nos deparamos com as representações apresentadas por mulheres vítimas de agressão física ou moral (injúria, difamação ou ameaça). Teremos um grande avanço no enfrentamento à violência doméstica quando a mulher tiver garantido o atendimento pós-registro policial, que implica não só a segurança jurídica, como a psicológica. Muitas vezes, pela falta desse acompanhamento, a mulher acaba voltando para o agressor e retirando a representação criminal, contribuindo com a injustiça”, concluiu Fabiana.

A delegacia é criada especificamente para o combate à violência contra as mulheres. A primeira unidade foi inaugurada no estado de São Paulo em 6 de agosto de 1985. A violência contra a mulher é todo ato que resulta em morte ou lesão física, sexual ou psicológica de mulheres, tanto na esfera pública quanto na privada. São várias categorias que se pode enquadrar a violência contra a mulher, como estupros, violência doméstica ou familiar, assédio sexual, coerção reprodutiva, infanticídio feminino, aborto seletivo e violência obstétrica, bem como costumes ou práticas tradicionais nocivas como crime de honra, feminicídio relacionado ao dote, mutilação genital feminina, casamento por rapto, casamento forçado e violência no trabalho, que se manifestam através de agressões físicas, psicológicas e sociais.

Por Redação

Publicidade
728x90
4 itens por 199