Vereadores entram na Prefeitura de Areal com auxílio da PM

Secretários do prefeito Flávio do Açougue impediram acesso a documentos para CPI

Areal - (Política) - Quarta, 06 de Fevereiro de 2019.

Vereadores entram na Prefeitura de Areal com auxílio da PM

Os vereadores José Augusto Bernardes Lima, Marcos Roberto de Paula e Luiz Antônio da Penha Reis, compõem a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga possíveis irregularidades praticadas pelo prefeito Flávio Magdalena Bravo (Flávio do Açougue), de Areal, durante leilão de veículos e sucatas realizado em novembro no município, quando vans que realizavam o transporte de pacientes foram leiloadas.
Os vereadores investigam se as vans eram de fato inservíveis, pois o município gasta aproximadamente 20 mil reais por mês para realizar esse serviço de forma terceirizada, tendo renovado para 2019 o contrato no valor de R$ 352.600 (termo aditivo de prazo: nº 003/2018 ao contrato nº 088/2016) .
A CPI, que teve início no dia 5 de dezembro de 2018 e tem prazo para acabar em 5 de março, já ouviu 15 testemunhas e realizou diferentes diligências dentro e fora do município, inclusive em outro estado. Porém, apesar de amparados pela lei que garante acesso à documentos públicos, os vereadores encontraram dificuldade para acessar a documentação na última sexta feira (1º), ao solicitar vistas de dois processos que poderiam esclarecer se testemunhas teriam prestado falso testemunho à CPI. Os vereadores foram surpreendidos, pois depois de aguardar durante todo o dia, enquanto um dos processos foi dado como "não localizado" por secretários do Prefeito, um segundo processo foi apresentado aos membros da CPI, mas os mesmos secretários não permitiram fotografá-los.
Com receio de os processos serem adulterados, os vereadores oficiaram a prefeitura a apresentar os dois processos até a última segunda-feira (4), o que não foi cumprido pelo executivo. Estourado o prazo, os membros da CPI solicitaram auxílio à Polícia Militar, quando finalmente conseguiram acesso aos processos nas repartições da Prefeitura Municipal de Areal.
Os vereadores lamentaram a falta de publicidade e transparência na administração pública por parte do governo do prefeito Flávio Magdalena e o cerceamento ao direito à informação, que é dado a qualquer cidadão pela Constituição Federal.

Por Redação

Crédito da Foto: Reprodução

Publicidade
728x90
3 Tenis 189